Guia para implantar um e-commerce de moda feminina

27 de MAIO, 2020 por Pablo Ribeiro

O segmento da moda encanta grande parte das mulheres, independente do seu estilo, tipo de corpo e etnia, a paixão por se sentir bem-arrumada e por conseguir se expressar através das roupas são duas das grandes razões pelo qual o setor apresenta um super potencial. O número de negócios que se dedicam à indústria fashion no Brasil e no mundo é tamanho. Mas, neste artigo em específico, vamos acender os holofotes para o e-commerce de moda feminina. Então, se prepare! Na passarela…dicas para implantar uma loja virtual de moda feminina.

Para que você já se sinta atualizado em relação à performance do mercado on-line, é válido mencionar que a categoria de moda e acessórios esteve em 1º lugar no quesito número de pedidos do comércio eletrônico brasileiro em 2019. Só aí já dá para ter uma ideia do quão promissor é o setor. O outro ponto que não pode ser desconsiderado é que como reflexo do isolamento social ocasionado pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), estar no digital se tornou a grande solução para que os empreendedores de lojas físicas, que não estão podendo atuar com as portas fechadas, continuem vendendo.

A realidade é que muitas marcas que estavam protelando e colocando na gaveta projetos que visavam investir no mercado on-line, precisaram desengavetá-los rapidamente, para, assim, tentarem minimizar os impactos da crise. Nesta onda, saber implantar um e-commerce de moda feminina, compreendendo todas as suas particularidades, fará total diferença no resultado deste novo projeto.

Antes de mais nada, é necessário entender que ir para o digital não é um milagre e está longe de fazer jus à expressão do antigo programa de humor televisivo que dizia “Seus problemas acabaram!”. É fato que desafios aparecerão, como todo negócio, a começar pelo alto número de concorrentes, e segundo, preço competitivo. Em alguns casos, o próprio fabricante também possui e-commerce para vender os seus produtos ao cliente final. Daí a importância de saber operar, a fim de identificar táticas assertivas e conquistar um bom espaço no mercado.

Guia para implantar um e-commerce de moda feminina.

Como anda este nicho do mercado em tempos de Covid-19?

Antes de qualquer decisão, é importante que você saiba como anda o mercado digital em tempos de COVID-19. Num primeiro momento, mais especificamente nas primeiras semanas de março, quando a disseminação do vírus estava começando a dar sinais, a categoria moda registrou queda nas vendas on-line. No entanto, do final de março ao início de abril foi notada uma alta de 41,4% em relação ao número de pedidos, segundo dados da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Neste período, um grande número de pessoas já estava na tão falada quarentena e, mesmo assim, o setor obteve este crescimento.

Percebendo que os indivíduos estavam preocupados e contendo despesas com receio dos desdobramentos econômicos que a pandemia já estava começando a revelar, muitos e-commerces de moda feminina passaram a atrair as consumidoras através de promoções agressivas, isenção de frete e parcelamento maior. Então, diversas mulheres se sentiram estimuladas a comprar aquelas peças desejo que já estavam querendo há um tempo. Desta maneira, o estoque começou a girar novamente e, simultaneamente, o capital voltou a se movimentar também.

Em contrapartida, pudemos ver lojas que não executaram grandes descontos e mesmo assim continuaram crescendo. Realidades que variam de marca para marca, segundo o público de cada uma delas. A publicidade nos canais digitais está sendo uma excelente maneira de se aproximar das consumidoras, que estão em peso na web, sobretudo nas redes sociais, neste período de isolamento. Muitas marcas estão utilizando uma linguagem com pegada mais inspiracional, dando algumas sugestões de filmes e playlists de músicas, por exemplo. Estas são algumas das maneiras de promover a marca usando o conteúdo e entretendo as mulheres que desejam se distrair e fugir um pouco das adversidades trazidas pela pandemia.

Implantação do e-commerce: O que você precisa se atentar?

Após o planejamento, a partir do desenvolvimento do plano de negócio, vem a fase da implantação da loja virtual propriamente dita, ou seja, a concretização do projeto. Nesta etapa, existem elementos específicos que merecem bastante atenção. A seguir, apontaremos os principais:

Escolha da plataforma

Para a escolha da plataforma ideal é preciso analisar, principalmente, o seu custo, a sua segurança, escalabilidade e funcionalidades. Atualmente, há 4 tipos de plataforma no mercado digital: Open Source, Proprietária, Própria e SaaS (Software as a Service). Cada uma delas possui prós e contras, basta identificar qual atenderá o seu negócio da melhor maneira. Lembrando que a plataforma poderá definir o que você irá disponibilizar ou não na sua loja.

Sistema de operação

Além de uma plataforma para materializar o seu projeto, também será necessária a contratação de um sistema de gestão integrado (ERP) para te auxiliar nas operações diárias, como o faturamento, emissão de notas fiscais e coleta de dados. A ideia é proporcionar operações mais ágeis e eficientes através da automatização.

Formas e integração de pagamento

Um outro fator que precisa ser considerado são as formas de pagamento que estarão disponíveis no seu e-commerce (cartão de crédito, boleto bancário, transferência eletrônica etc) e como será feita a integração da loja com as instituições financeiras. Atualmente, existem dois tipos principais: gateway de pagamento e intermediador de pagamento.

O gateway de pagamento funciona como uma espécie de máquina de cartão para vendas on-line, ou seja, após a finalização da compra, ele faz a integração das informações solicitadas pela loja virtual às adquirentes do cartão. Depois da verificação, a compra será aprovada ou não. A utilização do gateway de pagamento não dispensa relações contratuais com bancos e adquirentes dos cartões. Além disso, é importante saber que o seu custo é baseado numa taxa fixa.

Já o intermediador de pagamento faz a intermediação entre o e-commerce, os bancos e as adquirentes dos cartões. Se estende a outras formas de pagamento também, como boleto bancário, e só necessita de uma relação contratual para que o lojista tenha acesso a todas as bandeiras de cartões e formas de pagamento. Em relação ao seu custo, além de uma taxa fixa, também é cobrada uma taxa variável pelas vendas.

Serviço antifraude

Uma outra questão extremamente relevante quando nos referimos a e-commerces são as fraudes que podem ocorrer. Por isso, nada mais adequado do que contratar um fornecedor de antifraude, para evitar que este tipo de situação aconteça e ocasione prejuízos ao seu negócio. É válido informar que o intermediador de pagamento já faz isso por você, não havendo a necessidade de fazer a contratação de um serviço à parte.

Segurança

Quando falamos de mercado digital, a segurança dos dados dos clientes é ainda mais imprescindível e complexa. Ela interfere diretamente na credibilidade do seu e-commerce e na confiança depositada pelos consumidores na loja. Há dois tipos essenciais de segurança: Secure Socket Layer (SSL) e Scan de Aplicação e IP.

O SSL protege os dados que são inseridos pelos seus clientes no e-commerce, impedindo que algum invasor roube estas informações. Já o Scan de Aplicação e IP opera para achar falhas e vulnerabilidades da sua loja, a fim de que o setor de desenvolvimento realize as devidas correções.

Logística

Se atentar à logística do seu e-commerce é a maneira de você garantir uma boa experiência ao consumidor no que diz respeito à entrega. Ela pode ser realizada por transportadora ou através dos Correios. É importante ressaltar que a segunda possui limite de peso e volume para o envio, além de ser muito suscetível a greves. Mas, você pode contar com as duas possibilidades e fazer um comparativo entre os valores e a performance para decidir qual é a melhor opção em cada compra ou deixar a escolha à cargo do próprio cliente.

Legislação

Entender as regulamentações obrigatórias e necessárias para que o seu e-commerce de moda feminina opere seguindo todos os trâmites legais é fundamental. Além, é claro, de evitar problemas jurídicos eventuais. A seguir, listamos as principais:

  • Tenha a ciência de que o consumidor possui o direito de se arrepender e fazer a devolução de um produto em até 7 dias úteis após o recebimento do pedido;
  • É obrigatório que o rodapé das páginas contenham os principais dados da empresa (Razão Social, CNPJ e endereço);
  • O telefone da instituição também precisa estar visível seja no rodapé ou no topo;
  • O prazo de troca de produtos que apresentam defeito é de 30 dias para bens não duráveis e de 90 dias para bens duráveis;
  • Também é determinado por lei que a loja virtual tenha no mínimo um canal de atendimento que funcione 24 horas por dia, durante todos os dias da semana. Até mesmo um atendimento automatizado, como o “Fale Conosco” se adequa a esta exigência, desde que o consumidor seja amparado;
  • Despesas adicionais, como frete, precisam estar totalmente visíveis e discriminadas no valor da compra.

Quer saber mais informações ou deseja implantar o seu e-commerce de moda feminina? Saiba que você não está sozinho nessa! O time M3 conta com profissionais especializados em performance digital para e-commerces e implantação de lojas virtuais. Vamos juntos!

Divulgue esse Artigo

Deixe sua resposta