Webinar sobre multicanalidade: Saiba potencializar as suas vendas

28 de JAN, 2021 por Maria Clara Herdy

Desde que o comércio eletrônico surgiu, começaram as especulações sobre o possível fim das lojas físicas com a consolidação dos e-commerces. Neste momento, os canais de venda físicos e digitais eram vistos como grandes concorrentes. Mas aos poucos, os lojistas perceberam que eles podem se complementar, e não, competir entre si. Sob esta ótica, Pablo Ribeiro (Diretor Geral da Agência M3) e Leonardo Santos (CEO da Indeva by VTEX) se reuniram no Webinar “Multicanalidade: Potencialize as vendas no online e no offline em 2021” para apresentarem maneiras assertivas de utilizar a integração dos canais de venda, a fim de aumentar os resultados do seu negócio. Confira, neste artigo, os principais pontos abordados no evento e tenha bons insights para aplicar na sua empresa.

imagem integração dos canais de venda
Saiba o que rolou no Webinar sobre Multicanalidade.

Sobre os palestrantes

Pablo Ribeiro é Fundador e CEO da Agência M3, que está há mais de 6 anos no mercado trazendo soluções em performance digital através da implantação de e-commerces. Responsável pela equipe de vendas e relacionamentos da empresa. Já participou ativamente em mais de 160 projetos de implantações de lojas virtuais. E palestra em diversos eventos relevantes para o mercado de e-commerce, como o VTEX Day e as conferências do E-commerce Brasil.

Leonardo Santos é CEO e Fundador da Indeva by VTEX, uma plataforma SaaS que potencializa resultados no varejo físico. Administrador de empresas com MBA em gestão de projetos pela FGV. Apaixonado por Varejo, Tecnologia e Empreendedorismo. É especialista no aumento de produtividade em vendas e gestão de equipes em lojas físicas.

Os principais pontos apresentados no webinar

O webinar, promovido pela M3 em parceria com a Indeva by VTEX, trouxe uma pauta extremamente relevante tendo como base os hábitos e comportamentos dos consumidores atuais, que estão em busca de uma boa experiência de compra, independentemente do canal de venda. Confira, a seguir, os principais pontos abordados e compreenda ainda melhor a dinâmica da multicanalidade.

O início da integração dos canais de venda

Para dar start, Pablo comentou sobre a segregação do físico e do digital, tão comum há alguns anos atrás, na qual acreditava-se que o e-commerce tirava as vendas das lojas físicas. Ainda neste tópico, Leonardo evidenciou a desconstrução deste pensamento com o passar do tempo, que foi possível através do uso de estratégias que trouxeram a integração dos canais. Afinal, passou a haver o entendimento de que quando se compra de uma empresa, o consumidor não está comprando do canal, e sim, da marca.

Ele complementa dizendo que não é sobre o online e o offline, é sobre o cliente, por isso a importância de colocá-lo como o centro. Processo que, sem dúvidas, foi bastante acelerado pela pandemia, com destaque das marcas que tiveram velocidade na hora de se reinventar e de adequar o seu negócio à nova realidade, como foi o caso da Ri Happy. Assim que houve o lockdown em 2020, a marca conseguiu se adaptar rapidamente, transformando as suas lojas físicas em centros de distribuição.

Desafios de implementar a omnicanalidade

Em seguida, o papo entre o Pablo e o Leonardo girou em torno da dificuldade das empresas em fazer a omnicanalidade operar. Neste ponto, Pablo comentou sobre os desafios na parte da tecnologia, como, por exemplo, algumas plataformas de e-commerce que não dão suporte e estrutura para conectar a loja virtual à física, assim como no caso de alguns ERPs. 

Ademais, ele apontou a parte fiscal do país, que merece grande atenção, a fim de evitar problemas como bitributação, principalmente em caso de empresas que possuem lojas físicas em diferentes estados e elas são utilizadas nesta integração como centros de distribuição. Por outro lado, Pablo destaca ser bastante vantajoso investir nesta tática, com a finalidade de reduzir o valor do frete e proporcionar uma experiência de entrega muito mais rápida aos consumidores que compram via e-commerce.

Ele complementa dizendo a importância de não esperar o cenário ideal para investir na omnicanalidade. É mais interessante ter rapidez e boas estratégias do que aguardar ter um sistema perfeito. Sobretudo no cenário em que estamos inseridos, no qual o comércio físico ainda vem sofrendo impactos oriundos da pandemia, e a integração dos canais, além de ser uma tendência, também pode auxiliar neste contexto.

Dicas para introduzir o Omnichannel

Para dar início ao processo, Pablo sugeriu introduzir o Omnichannel em uma das lojas físicas primeiramente. Desta forma, é possível adotar o melhor formato de atuação, para, assim, incorporar nos demais pontos de venda. Ademais, ele evidenciou a possibilidade das indústrias também viabilizarem a integração dos canais, exemplificando com o case do e-commerce da Santa Helena, em que a entrega dos produtos é realizada por um parceiro, processo que já está em fase beta em algumas regiões.

Novas tendências de multicanalidade

Depois, Leonardo continuou o papo falando sobre uma nova tendência, que é levar a ideia de marketplace, muito difundida no online, para a realidade das lojas físicas. Como exemplo, ele citou o desenvolvimento de um novo produto dentro da VTEX, cuja principal proposta é permitir que através do InStore e da Prateleira Infinita, soluções presentes na plataforma, os marketplaces também consigam atuar da mesma maneira no físico. 

Além disso, Pablo ressaltou que a multicanalidade pode iniciar sem que a empresa tenha um e-commerce propriamente dito. Por meio das redes sociais, é possível atrair os consumidores até a loja física ou, ainda, operar como um canal de vendas. Um processo simples e limitado, mas que, sem dúvidas, pode ser um bom começo, até mesmo para fazer testes, sem precisar investir num valor expressivo.

A importância de alinhar a cultura da empresa à multicanalidade

Durante o webinar, Leonardo também reforçou que para operar como Omnichannel, é fundamental que a cultura da empresa se adeque a este formato, estimulando o engajamento da equipe de vendas. Ou seja, os processos precisam ser adaptados e estruturados de modo que façam sentido para os vendedores, a fim de que eles se sintam motivados e haja uma resposta positiva em relação à integração dos canais.

Um grande case, por exemplo, é o Grupo Soma, que trouxe os vendedores das lojas físicas para o digital. A implantação do código de vendedor estimulou a equipe a levar vendas para o e-commerce, onde o cliente, ao comprar com o código, possui um percentual de desconto e frete grátis em compras acima de determinado valor, ao passo que os vendedores são comissionados pelas vendas.

Ademais, Leonardo mencionou um novo formato de consumo que algumas marcas já adotaram: o Live Commerce. Através de lives realizadas na própria loja virtual, profissionais da marca apresentam alguns produtos e as compras podem ser feitas naquele exato momento, enquanto os consumidores assistem ao evento. Sem dúvidas, uma estratégia que aproxima o digital do físico. 

Para finalizar, os palestrantes reforçam a ideia de não esperar a perfeição para tornar o projeto da omnicanalidade realidade da sua empresa. É importante ser ágil durante a reinvenção, através de respostas rápidas, mesmo que necessitem ser aprimoradas no decorrer do tempo.

Assista à gravação do webinar e tenha insights incríveis

Se você perdeu o webinar, mas percebeu que ele pode ser muito relevante para o seu negócio, clique aqui e assista agora mesmo à gravação do evento. Certamente, você terá muitos insights para levar a multicanalidade para a sua loja e alcançar resultados ainda mais consistentes. Vamos juntos! 

Divulgue esse Artigo

Deixe sua resposta
Pense fora da caixa black friday 2020 fique pronto para lucrar BAIXE GRATUITO AQUI
Pense fora da caixa black friday 2020 fique pronto para lucrar BAIXE GRATUITO AQUI