Destaques da Maratona Webinar: Mercado do e-commerce 2020

8 de JUN, 2020 por Herdy susi

No decorrer das quatro quintas-feiras de maio e na primeira de junho, promovemos  a Maratona Webinar “O mercado e o consumo no e-commerce 2020”, com o apoio do E-commerce Brasil. Foram cinco encontros incríveis, numa temática super atual, acerca das reconfigurações do comércio eletrônico e do comportamento dos consumidores em 2020. Totalmente inseridos num contexto em que a pandemia da Covid-19 acelerou muitas mudanças que já se mostravam, mas que ainda caminhavam em passos relativamente desacelerados.

Na Maratona, contamos com a participação de cinco profissionais fantásticos e muito relevantes para o mercado digital brasileiro na atualidade. Neste artigo, você poderá conferir os grandes destaques do evento e saber o que rolou em cada Webinar.

Confira o que rolou na Maratona Webinar “O mercado e o consumo no e-commerce 2020,”

1º Webinar: Os desafios e oportunidades das operações Multi CD: Da integração de lojas físicas (Omnichannel) a projetos de marketplace com seus parceiros de negócios

A estreia da Maratona aconteceu no dia 7 de maio, onde tivemos a presença de Marcelo Maurano, Co-fundador da E-Principia. Maurano abordou os principais tipos de operações Multi CD (Centro de Distribuição) do mercado, a destacar:

  • Omnichannel, em que umas das ações é fazer a integração dos estoques das lojas físicas com as operações do e-commerce;
  • Dropshipping, modelo muito utilizado no mercado americano, que consiste numa integração do processo de estoque com os distribuidores. Logo, o lojista não mantém os produtos em seu estoque, ele vende primeiro, para depois dar início à cadeia de compra do item do seu fornecedor. Além disso, é válido dizer que o responsável por realizar a entrega ao consumidor final é o próprio fornecedor, a partir da nota fiscal gerada pela loja virtual;
  • Marketplace, onde você abre o seu site para outros parceiros venderem os seus produtos, realizando, portanto, a integração de ofertas.

Além disso, apresentou o comportamento do consumidor Omnichannel, ilustrando com os seguintes dados: 56% das vendas do varejo físico começam no on-line, 25% conhecem o produto na loja física e fazem a compra no e-commerce e 73% utilizam o smartphone em alguma etapa do processo de compra. Marcelo deixa claro que o consumidor já é Omnichannel, portanto, precisamos entendê-lo bem para atender às suas necessidades.

Ele também fala da importância do seu e-commerce ter um ERP que converse harmonicamente com a sua plataforma, para, assim, viabilizar o estoque unificado e possibilitar operações Omnichannel entre o e-commerce e as lojas físicas. Além de ressaltar a relevância da integração do estoque da loja virtual com o estoque do fornecedor nos casos de Dropshipping. Ou seja, a partir do modelo de estoque unificado, você sabe se tem o produto em estoque ou se será necessário fazer o crossdocking com o CD do fornecedor.

2º Webinar: Venda on-line a partir de hoje: Como usar os marketplaces para vender mesmo na crise

O segundo Webinar da Maratona aconteceu no dia 14 de maio. E foi a vez de Beatriz Christofoleti, Head de Parcerias na ANYMARKET, falar sobre a venda na internet através de marketplaces e dar dicas para vender mesmo em tempos de crise. O primeiro ponto mencionado por Beatriz foi o contexto em que estamos inseridos e o reflexo da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). 

Dentre os efeitos apontados, destaca-se o crescimento do comércio eletrônico neste período. E para ilustrar esta configuração, a palestrante trouxe um dado interessante, extraído da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), que registrou um crescimento de 35% no número das compras on-line nos e-commerces na primeira quinzena de março, comparando ao mesmo período do ano passado.

Beatriz foi além e apresentou uma relação dos aumentos e das quedas de alguns segmentos do mercado digital no que diz respeito ao número de pedidos, também de acordo com a pesquisa realizada pela ABComm. O que evidencia a nítida mudança do comportamento dos consumidores e os impactos da pandemia e do isolamento social neste cenário.

Após o panorama geral do comércio eletrônico, foi o momento de exibir especificamente o crescimento dos marketplaces, mostrando o percentual de alguns sellers da ANYMARKET e o registro de aumento no número de vendas. Dentre as principais categorias citadas, destacam-se: esporte e lazer, saúde e beleza, brinquedos e casa e decoração.

Então, Beatriz seguiu nesta mesma linha mostrando os benefícios de vender num marketplace, uma vez que muitos consumidores ainda se sentem inseguros de comprar on-line, com o receio do roubo de dados e de fraude. Neste ponto, a venda de marketplaces se torna muito vantajosa porque aquele canal já possui visibilidade, credibilidade e estabilidade. A palestrante também mencionou o aumento do número de pessoas que compraram no e-commerce pela primeira vez durante o contexto da pandemia.

Além disso, Beatriz ainda mostrou como gerenciar uma operação num marketplace. A começar pela escolha do marketplace, propriamente dito, depois, a criação de anúncios que atraiam os consumidores, o gerenciamento em vários canais e as estratégias que deverão ser traçadas em cada um deles.

3º Webinar: Do físico ao digital: Como operacionalizar o projeto e-commerce de uma loja de moda

No dia 21 de maio, tivemos o terceiro Webinar da Maratona, com a presença de Murilo Roland, Gerente de Novos Negócios na Data System. Foi uma tarde repleta de dicas sobre operações de lojas virtuais do nicho de moda, a partir da visão correlacionada do varejo físico e do digital.

Murilo começou o Webinar falando sobre a evolução da maturidade do comércio eletrônico nos últimos anos. Ilustrando alguns obstáculos para a aceitação do e-commerce entre os varejistas ao longo do tempo. Primeiro fator: há anos atrás, o lojista tinha medo de colocar o preço na vitrine da loja com o receio do concorrente ter acesso a esta informação e traçar uma tática a partir disso. Se este medo era real, em alguns casos, imagine no e-commerce, em que o concorrente está ao seu lado, mas, mesmo assim, é necessário colocar o valor.

Depois, a questão que se tornou empecilho para muitos lojistas aderirem ao digital foi a ideia de que havia uma competição entre os canais físicos e digitais, justamente, pela falta de integração que havia entre a loja física e o e-commerce, questão que foi derrubada pelo Omnichannel. Hoje, já existe a ideia de que os dois tipos de canais se complementam.

Em seguida, Murilo apresenta o porquê do investimento no e-commerce ser bastante promissor, a partir de dados que exibem o crescimento do comércio eletrônico em 2019. Para você ter uma ideia, o e-commerce obteve um crescimento de 22,70% no ano passado e apresentou um faturamento 75,1 bilhões.

Outro ponto mostrado durante o Webinar, foi o comportamento do Omniconsumidor, que interage entre os canais de venda físicos e digitais. Neste ponto, Murilo especificou que o consumidor é o centro de tudo. Além disso, falou da importância de toda a equipe do negócio estar engajada para que o resultado da loja virtual seja positivo.

O palestrante também trouxe orientações acerca da escolha da maneira como você vai vender pela internet, apontando os prós e contras de ter uma loja virtual própria ou de fazer a comercialização dos produtos num marketplace exclusivamente. Aqui, Murilo deixou bem claro que antes de vender on-line, é necessário ter a sua presença no on-line bem definida. 

Adiante, falou sobre a importância de estabelecer muito bem o seu público-alvo, de definir a sua estratégia de preço, de não subir o estoque inteiro, usar a curva ABC (os produtos que se destacam nas vendas), otimizar os seus custos, definir as suas táticas de comunicação, desenvolver um checkout simples e rápido, contar com integrações em seu sistema  etc. Além de mencionar a relevância de não tornar o frete uma desvantagem competitiva, já que ele é um dos principais fatores para o abandono de carrinho. E, finalmente, Murilo fala da importância de dar o primeiro passo.

4º Webinar: Cenário da fraude no e-commerce

O quarto e penúltimo Webinar da Maratona aconteceu no dia 28 de maio e contou com a participação de Gustavo de Paula, Consultor de Parcerias da ClearSale. Lá, ele explanou sobre as fraudes e táticas dos fraudadores no mercado digital, além da importância de investir num serviço de antifraude para a segurança tanto do lojista quanto do consumidor.

Gustavo começou explicando o que é fraude e mostrando como ela funciona no mercado virtual. Para ilustrar, ele apresentou o seguinte exemplo: o fraudador efetua a compra com cartão de terceiros, em seguida, o banco verifica se há saldo e faz a liberação, consequentemente, o produto é entregue ao fraudador. Só que a história não para por aí! O dono do cartão não reconhece a compra (chargeback) e quem precisa arcar com o prejuízo é a própria loja.

Adiante, o palestrante exibe os danos que são causados pela fraude on-line. Primeiro ponto, perda de produtos e de outros encargos associados às vendas, como o custo logístico e as taxas bancárias. Segundo, se o estabelecimento ultrapassar o índice de chargeback estabelecido pela adquirente, a loja poderá ser penalizada com multa. E terceiro, as administradoras do cartão podem cancelar a maquineta e o contrato de serviço, caso a empresa apresente um número considerável de chargeback e não tome nenhuma ação preventiva para controlar as fraudes.

Além disso, Gustavo apresentou os três tipos principais de fraudes: falsificação de documentos, venda e coleta de dados por telefone que alimentam a comercialização das informações que servirão para fraudes (marketing ativo) e coleta de dados importantes do consumidor através de sites ou mensagens falsas (phishing).

O palestrante também mostrou o mapa da fraude, segundo uma pesquisa realizada pela ClearSale, exibindo por região do endereço de entrega, o índice de tentativa de fraude. Região Norte é o grande destaque com um percentual de 6,58%, Região Nordeste logo atrás com 5,02%, em seguida, Centro-Oeste com 4,71%, depois Região Sudeste com 3,21% e Região Sul apresentando 1,92%. Ainda em relação à mesma pesquisa, Gustavo citou quais são as categorias mais fraudadas, dentre elas estão: celulares (1º lugar), bebidas ( 2º lugar), games (3º lugar) e eletrônicos (4º lugar).

A pesquisa também aponta as datas comemorativas mais suscetíveis à fraude, que são: Dia dos Namorados (4,56%), Dia das Mães (4,11%), Dia dos Pais ( 3,62%), Natal (3,38%) e Dia das Crianças (3,20%). E por incrível que pareça o percentual de fraudes durante a Black Friday, maior data do comércio eletrônico, é baixo comparado às demais. A principal razão exposta por Gustavo para justificar este dado é o fato do fraudador não estar preocupado com o preço do produto, até porque não será ele quem pagará.

O palestrante finalizou o Webinar mostrando a importância de investir numa ferramenta antifraude, a fim de evitar todos os problemas e prejuízos apresentados no decorrer da apresentação.

5º Webinar: Os desafios das lojas físicas num varejo cada vez mais digital

No último Webinar da Maratona foi a vez de Leonardo Santos, CEO e Fundador da Indeva, falar um pouco sobre os desafios que as lojas físicas vêm enfrentando, já que estamos inseridos num varejo cada vez mais digital, sobretudo devido aos efeitos da pandemia e do consequente isolamento social. O primeiro elemento que Leonardo mencionou foi o novo papel da loja física a partir de uma visão de ressignificação.

Para começar, ele disse que é importante que tenhamos a consciência de que: o varejo não se limita mais ao físico; a função da loja passou a ser vender e se relacionar; ela precisa ter aquilo que o cliente procura; além disso, a loja deixou de ser apenas uma loja para se tornar um CD, um centro de serviços , acesso de conteúdo e ponto de mídia; ela passou a depender de integração; e a análise do resultado envolve mais do que a loja propriamente dita.

Em seguida, Leonardo apresentou as características de uma empresa resiliente, explicitando que ela tem a particularidade de direcionar os seus esforços de acordo com os 3Rs: Responder, Retornar e Reimaginar. Ou seja, para que uma empresa continue operando em meio à crise, é necessário garantir medidas apropriadas de resposta (Responder). Já o Retornar, diz respeito à importância do gerenciamento, durante os tempos críticos, através da busca por oportunidades. E Reimaginar, é tentar visualizar o “novo normal” e se reinventar traçando novas táticas de operação.

Em relação ao “novo normal”, reflexo da pandemia, o consumidor passa a apresentar novos comportamentos. Neste ponto, o palestrante citou alguns fatores que estão diretamente associados a isso: digital onipresente, consumo repensado, consumo seguro, saúde e qualidade de vida, propósito etc. Ainda relacionado às transformações de hábitos e comportamentos de consumo das pessoas, Leonardo citou como exemplo a mudança da escolha de roupas neste contexto. Os consumidores estão procurando, principalmente, vestimentas casuais e confortáveis.

Além disso, o palestrante ainda mencionou a importância do atendimento personalizado e seguro e citou a influência da crise da Covid-19 nas adaptações nos modelos de venda do varejo. Para ilustrar, Leonardo trouxe o case da loja Ri Happy que inovou em tempos de crise a partir do recurso de atendimento agendado para lojas físicas. Oferecendo, portanto, confiabilidade, agilidade e segurança, mas, acima de tudo, mostrando que se preocupa com o cliente.

Para ver e rever a Maratona “O mercado e o consumo no e-commerce 2020”  clique aqui e confira os webinars!

Divulgue esse Artigo

Deixe sua resposta